O aumento da urbanização global: desafios e oportunidades na área da saúde

O aumento da urbanização global: desafios e oportunidades na área da saúde

O aumento da urbanização global: desafios e oportunidades na área da saúde

No texto passado falamos das tendências e oportunidades para a próxima década, do ponto de vista dos alimentos.

Neste, vamos tratar das oportunidades na área da saúde.

Conforme falamos no início da série, a necessidade das cidades criarem estratégias para suportar o crescimento populacional nos próximos anos será um grande desafio. As cidades terão de se reinventar mais uma vez para atender as demandas não só na área da saúde, mas no trânsito, alimentos, educação e energia.

Com todo esse aumento, a saúde será cada vez mais objeto de estudos, tanto no ponto de vista da prevenção quanto na cura.

E eu te pergunto: que oportunidades a sua empresa vislumbra com esse cenário? Você está produzindo algo para atender e aproveitar essas demandas que vão surgir?

Seguem, portanto, dicas e oportunidades para você se inteirar e realizar investimentos de curto, médio e longo prazo.

Cosmética e farmacêutica: Codificação do DNA, Nano e biotecnologia (US$ 3 trilhões), etiquetas inteligentes em remédios para prevenção de falsificação e para que o paciente faça a aplicação e uso correto, sem a necessidade de bula;

Equipamentos médico-hospitalares: máquinas e equipamentos para diagnósticos ainda mais avançados, equipamentos cirúrgicos autônomos, sensores para rastreamento e programação de manutenção hospitalar, aplicativos para controle, prevenção e orientações sobre a saúde;

Atendimento a domicílio: telemedicina, atendimentos clínicos de modo virtual, monitoramento por sensores e chips adesivos que dão todas as informações do corpo para o especialista em tempo real, assim como apps de celular que monitoram seu dia a dia;

Produtos para terceira idade: com o envelhecimento populacional, produtos voltados a acessibilidade, produtos e serviços voltados a atenção aos idosos, mecanismos de auxílio para atendimento ao idoso de modo independente e autônomo;

Novas doenças e males: depressão e outras doenças desta geração necessitarão de serviços específicos de atendimento que proporcionem maior controle da qualidade de vida dos indivíduos em rotinas cada vez mais agitadas. Isso dará espaço a serviços como acompanhante de passeios, prestadores de serviços simples, entre outros;

Para todas estas oportunidades de desenvolvimento, necessidades reais de soluções cada vez mais tecnológicas, sustentáveis e autossuficientes.

Fique atento, nos próximos textos vamos falar sobre educação e energia.

E se você não leu os anteriores, nas últimas semanas falamos do transporte e dos alimentos.
Author Avatar

Sobre autor

Mário Pólis - Bacharel em Negócios Internacionais (UNIMEP) e Mestrando em PO – Log. Internacional (UNICAMP), é um dos membros brasileiros na INCU (International Network of Customs Universities). Tem experiência nas áreas de logística e aduana, com foco em inteligência aduaneira voltada para pequenas e médias empresas importadoras/exportadoras. É docente no MBA de Negócios Internacionais e Comércio Exterior, e MBA de Gestão e Negócios (UNIMEP), além de palestrante. É o diretor da EMME.